Capítulos arrecadam mais de 11.000 materiais escolares em prol das escolas públicas pelo DNF

Publicado em 28/03/2018 | Categorias: Comissões, SCODB | Publicado por: 90237

A arrecadação de livros e materiais escolares foi a tarefa do mês de fevereiro para os Capítulos da Ordem DeMolay para o Brasil que estão participando do Desafio Nacional de Filantropia – DNF.  O projeto tem como objetivo estimular a realização de filantropias mensais, que fazem parte do processo de formação destes jovens.  Este ano, o projeto tem a participação de mais 150 Capítulos em todo território nacional até a presente data.  O Desafio é mensal e o torneio vai até o mês de setembro, onde os resultados serão divulgados no Congresso Nacional da Ordem DeMolay, no dia 8, em Ribeirão Preto, interior de São Paulo.  Os números demonstram um grande sucesso!  Foram 11.223 livros ou kits doados, 16.383 pessoas beneficiadas, em um trabalho que contou com 450 DeMolays Ativos, 56 Seniores DeMolay, 113 Maçons, 51 mães e 152 membros de outras organizações juvenis de todo o Brasil!

O Capítulo “São José do Rio Preto” n.º 034, na Região Noroeste de São Paulo, patrocinado pela A.R.L.S. “Cavalheiro da Amizade” n.º 131 (GLESP), foi o vencedor do mês de fevereiro, onde arrecadou 1.400 livros didáticos, sendo distribuídos em duas escolas da rede pública.  “Ao sabermos que a tarefa do mês de fevereiro do DNF consistia na arrecadação de livros didáticos e materiais escolares, não medimos esforços para completar essa missão. Tínhamos em mente que a Ordem DeMolay tem como uma de suas bases a defesa das escolas públicas, representadas em nossas cerimônias pelos Livros Escolares; precisávamos ir ao auxílio dessas instituições que, muitas vezes, encontram-se em um estado de abandono. O DNF nos fez cumprir, em parte, o juramento que aprendemos no momento em que entramos para esta Ordem“, explica o Irmão Alan Fabrício Stefanni Mendonça, Mestre Conselheiro do Capítulo.

A Escola Estadual Noemia Bueno do Valle recebeu 800 livros didáticos e os 600 restantes foram entregues à Escola Estadual Nova Esperança.  “Ao saber que fomos vencedores do desafio do mês de fevereiro, fica a sensação de dever cumprido.  Os agradecimentos ficam com a nossa Comissão de Hospitalaria, que tão vivamente organizou e propagou o projeto, às entidades paramaçônicas que nos ajudaram doando materiais e divulgando ainda mais a atividade, e aos Irmãos do nosso Capítulo, que abraçaram a ideia e fizeram o nome do Capítulo ‘São José do Rio Preto’ n.º 034 brilhar mais uma vez dentro dos seus 32 anos de história”, completa o Irmão Alan Fabrício.

O DNF encontra-se na terceira edição anual, originado do Torneio Estadual de Filantropia do Estado do Rio de Janeiro, criado pelo Irmão Diego Santa Rosa, sendo posteriormente adaptado para a realidade dos DeMolays em âmbito nacional. O projeto foi elaborado de uma forma igual para que todos os Capítulos participantes
possam cumprir as tarefas solicitadas. No mês de janeiro, a primeira tarefa foi a criação de Comissões de Filantropia Capitulares, que tem como objetivo fomentar as ações filantrópicas em seus respectivos Capítulos.

Tenho a certeza que o Desafio Nacional de Filantropia, assim como os projetos desta Comissão, serão grandes agregadores de fatores positivos e motivação para os associados do nosso Supremo Conselho.  Vamos juntos atingir metas inimagináveis em todo o território nacional, levando adiante os ensinamentos, ética e os valores da
verdadeira Ordem DeMolay“, explica o Irmão Gustavo Lessa, Presidente Nacional de Filantropia do Supremo Conselho.

As tarefas filantrópicas são mensais e devem ser cumpridas pelos Capítulos participantes, sendo criado um ranking com as suas respectivas pontuações para divulgar no começo de setembro, o vencedor, que será premiado pelo Supremo Conselho e pelo seu Grande Capítulo Estadual ou Distrital. Serão premiados também o segundo e terceiro colocados.

Os Capítulos participantes devem, além de realizar e comprovar as tarefas, promover por meio delas as ações filantrópicas, ajudar a divulgar o DNF em outros Capítulos e dentro das Lojas Maçônicas, estimulando a presença de mães, pais, organizações paramaçônicas e sociedade civil em nossas atividades.