Notícias publicadas com a tag Alberto Mansur

GOB-PI instala Loja “Grande Mestre Alberto Mansur”

No dia 14 de março deste ano, a comunidade maçônica piauiense celebrou a Sessão de Instalação de mais uma Loja no estado. Trata-se da A.R.L.S “Grande Mestre Alberto Mansur”, ainda sem número definitivo, filiada ao Grande Oriente do Brasil – Piauí (GOB-PI), situada em Teresina, que funcionará sob o Rito Brasileiro (praticado por mais de […][...]

Eminente Grão-Mestre do GOB-PI se declara defensor intransigente do SCODB

Foi nesse último sábado, 20, em Teresina / PI, durante a Abertura do Ano Maçônico de 2018 do Grande Oriente do Brasil – Piauí (GOB-PI), evento que contou com cerca de 1.500 convidados, envolvendo autoridades maçônicas, paramaçônicas e civis, que o Tio José Antônio Dias Soares Silva, Eminente Grão-Mestre do GOB-PI, se declara defensor intransigente do […][...]

“Teria que ter um livro para escrever”, diz o fundador do primeiro

Neudon de Albuquerque Cerqueira Júnior foi iniciado durante instalação do primeiro Capítulo do Brasil, em 1980. Hoje, o irmão Neudon é cirurgião-dentista e mora no Rio de Janeiro. Casado e pai de dois filhos, gosta de música e também praticou esportes quando era mais novo. Ele seria uma pessoa comum, não fosse o fato de […][...]

Câmara dos Deputados homenageia SCODB em seus 32 anos

O Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil foi homenageado em sessão solene da Câmara dos Deputados realizada em seu aniversário de 32 anos, no último dia 12 de abril (quarta-feira). O ato, realizado por requerimento do tio maçom e deputado federal Domingos Sávio (PSDB-MG) foi transmitido pela TV Câmara e contou com a […][...]

Ordem DeMolay é tema de Trabalho de Conclusão de Curso

Licenciado em História, Vitor Lhamas Lembi escolheu a Ordem DeMolay como objeto de sua monografia. A Comissão Nacional de Comunicação conversou um pouco com ele, e conta mais na matéria: Vitor Lhamas é formado em História pela Universidade Anhanguera, do estado de São Paulo. Com 24 anos, ele mora em Tupã, e decidiu tratar da […][...]

Homenagem a um ano da partida do Tio Alberto Mansur…

Escreveu Rubem Braga em seu livro “A traição das Elegantes”: “E no meio dessa confusão alguém partiu sem se despedir; foi triste. Se houvesse uma despedida talvez fosse mais triste, talvez tenha sido melhor assim, uma separação como às vezes acontece em um baile de carnaval — uma pessoa se perde da outra, procura-a por […][...]